Foto: Isac Nóbrega/PR.

Apoie a imprensa democrática.

Ajude a romper o ronrom da mídia corporativa.

Após nove meses de pandemia, com postos de vacinação contra a covid-19 já funcionando até na Arábia Saudita, o governo Jair Bolsonaro só agora, nesta quarta-feira, 16, lançou um edital para “possível e futura aquisição de seringas e agulhas” – palavras do aviso de licitação.

O edital prevê que o governo aceitará entregas de seringas e agulhas para o Programa Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19 até 31 de dezembro de 2021.

A Folha de S.Paulo, que é imprensa de referência demais para dizer que estamos fodidos, considerou a data “um indicativo de como a imunização vai se arrastar ao longo do próximo ano, avançando por 2022”.

Já o site do Ministério da Saúde diz que “cabe ressaltar que os gestores locais de saúde são responsáveis pela compra de seringas e agulhas, bem como os estoques. Contudo, o Ministério da Saúde tem saído na frente”.

“O Ministério da Saúde tem saído na frente”.

É de cair o cu da bunda do Zé Gotinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *