Em abril do ano passado, o presidente do Bradesco, Octávio de Lazari, cobrou do governo Bolsonaro a aprovação da reforma da Previdência. A cobrança foi feita do alto da Estância Climática de Campos do Jordão, num Fórum do Lide, grupo de líderes empresariais cujos fóruns de até anteontem João Dória, antes da política, comandava com um apito pendurado no pescoço.

Naquela feita, Lazari disse que os empresários brasileiros estavam preocupados com a demora, mas esperançosos de que – mais explícito, impossível – “depois da tempestade venha a bonança”.

O tempo passa, o tempo voa, e não, a poupança Bamerindus não continua numa boa, por que o Bamerindus não existe mais. O Bamerindus virou HSBC, que depois foi comprado pelo Bradesco de Octávio de Lazari.

Já a reforma da Previdência sonhada por Lazari foi promulgada no dia 12 de novembro de 2019. Um ano e um dia depois dela, no último dia 13 de novembro, o Estadão informou que em 2020, em meio à agonia geral da economia, “dois produtos conseguiram segurar as pontas e se destacar”.

Seguros de vida e de… previdência, são os dois produtos que, com covid e tudo, continuam numa boa. O presidente da Federação das Empresas de Previdência Aberta (FenaPrevi) e da seguradora de vida e previdência do grupo Bradesco, Jorge Pohlmann Nasser, disse ao Estadão que contratar um plano de previdência privada hoje é tão importante quanto usar máscara contra a covid-19:

“Se hoje você se lembra de colocar uma máscara para sair de casa, faça o exercício de pensar se já tem proteção para você e para a sua família. Ter a consciência de que é necessário se proteger de outras formas é tão importante quanto. O seguro é como se fosse uma máscara hoje em dia. Esse é o nosso maior desafio. Trazer conhecimento para as pessoas sobre a formação da cultura previdenciária”.

“2020 merece um desconto”, é o slogan da Black Friday da Bradesco Seguros, que entre suas ofertas têm “sofisticadas opções de planos” de previdência para começar a investir com R$ 50,00.

‘Ativo para aposentadoria’

Já a promoção previdenciária de Black November da XP Investimentos começou no último dia 16, vai até a próxima Black Friday, 27, e consiste no oferecimento a taxa zero de um “ativo de multimercados outros” chamado Trend Pós II XP Seg FICFIM, e quem pegar carona nessa cauda de cometa ainda ganha 80% de desconto nos cursos de aprender a investir da plataforma Xpeed.

Entre os cursos da Xpeed há um chamado “Previdência e planejamento: turbinando a sua aposentadoria”. O aluno da “school by Xp Inc.” que realmente ainda não entendeu nada sobre como ele chegou, como nós chegamos até aqui, será letrado afinal, conforme consta na ementa do curso, em “evolução do mercado de previdência nos últimos anos”, “evolução na indústria de fundos de previdência” e “o que rende mais, previdência ou outros tipos de investimento?”.

Neste adiantado da Grande Marcha Para Trás em que meteram este país, é desse modinho que vai chegando ao fim de carreira a previdência dos brasileiros, especialmente após a contrarreforma de 2019, viabilizada por um golpe e arrematada pelo fascismo. Outrora social, está assim agora a previdência brasileira: na mesma prateleira de “outros tipos de investimento” – quem sabe ações do Carrefour -; como um troféu no meio da bugiganga do rentismo; na prateleira da Black Week, como fritadeiras, batedeiras e ferros de passar, e levando dependurada a etiqueta “ativo para aposentadoria”.

“Ativo para aposentadoria”. É o termo da novilíngua da Nova Previdência.

A sorte

A Easynvest, outra corretora, e também por ocasião da Black Friday, está sorteando até R$ 5 mil para clientes reinvestirem em fundos previdenciários: “já conferiu as oportunidades da nossa Black November? Invista ou faça a portabilidade da sua Previdência Privada e garanta tranquilidade lá na frente”.

Cada vez que bota R$ 500 em um “ativo para aposentadoria”, o sujeito concorre ao prêmio, mas, lembre-se, é para reinvestir, não é para ser imprevidente nesta vida no dia em que a sorte bater na sua porta.

Mais esta promoção previdenciária de Black November, Black Week, Black Friday, é uma parceria entre a Easynvest e a Icatu Seguros. Maior seguradora do Brasil no ramo de “vida e previdência”, líder em “portabilidade de planos de previdência aberta”, em 2019, segundo o jornal Valor Econômico, a Icatu atraiu nada menos que R$ 7,4 bilhões em recursos de previdência privada de clientes migratórios de outras seguradoras, e registrou captação líquida com fundos previdenciários de nada menos que R$ 10,4 bilhões. Um crescimento de 59% em relação a 2018. 

Em relação a 2018, as reservas dos planos previdenciários da Icatu dos tipos PGBL e VGBL cresceram no ano passado 52%, para R$ 39,1 bilhões. Em março deste ano, o presidente da seguradora, Luciano Snel, disse ao Valor que “após a reforma da Previdência temos sido constantemente procurados por gestoras novas que querem firmar parcerias e entender o segmento de fundos que recebem recursos de planos PGBL e VGBL”.

Pinhão de Ouro

Em 2019, a Icatu Seguros registrou alta de 18% no lucro líquido total. Cabalisticamente, para 18% foi o quanto cresceu a fatia da Icatu no mercado brasileiro de fundos de previdência privada. Quando da contrarreforma de Bolsonaro/Maia/Paulo Guedes, o então diretor de Produtos de Previdência da Icatu falou em oportunidade de “relembrar diariamente a população que não é possível contar somente com os recursos da previdência social”.

Palavras de quem tem MBA pelo MIT com tese em Produtos de Previdência sob orientação do prêmio Nobel Robert Merton. A Icatu, aliás, foi pioneira em lançar um fundo previdenciário no Brasil em parceira com um grande “player” estrangeiro. Na verdade, a maior gestora de recursos ou “ativos” do mundo, a Black Friday, ou melhor, Black Rock, que é estadunidense como Merton, que por sua vez ficou famoso por aperfeiçoar a fórmula de…  Black-Scholes, usada para medir a volatilidade dos mercados financeiros.

Por falar em prêmio, foi um funcionário da Icatu o ganhador na categoria “profissional de seguro” do último troféu Pinhão de Ouro, que não é um Nobel, mas é com ele que o Instituto Superior de Seguros e Benefícios Brasil (ISB Brasil) premia os destaques de cada ano no “mercado de benefícios”. Pois então: a previdência no Brasil, como um troféu no meio da bugiganga.

A premiação de 2020 do Pinhão de Ouro aconteceu no fim de outubro, no Cine Drive-in Família Madalosso, bairro Santa Felicidade, República de Curitiba. Foi ali, nas dependências comerciais da família Madalosso, no restaurante da família, que em junho de 2016, ano do golpe, uma senhora Madalosso arrancou do hall de entrada uma foto de Lula com um funcionário da casa, a pedido da clientela, e pôs no lugar uma outra, de Sergio Fernando Moro.