Extra! Extra! Mudou tudo no ministério da Saúde do governo Bolsonaro. Com Marcelo Queiroga substituindo Eduardo Pazuello, a guinada acontece principalmente “no tocante” aos ardis nos quais o presidente da República há mais de um ano vinha se firmando para sabotar todo e qualquer esforço de combate à pandemia de covid-19 no Brasil. Sob “pressão internacional”, sob “efeito Lula”, Bolsonaro “cedeu” e pôs no Ministério da Saúde um “médico renomado” que:

Sobre lockdown, ou isolamento, ou confinamento, ou medidas restritivas em geral, o novo ministro da Saúde disse nesta segunda-feira, 15, à CNN que isso não pode ser política de governo porque tem “os aspectos da economia”, e que só se pode falar nisso em situações extremas, e como o Brasil vai lidando bem com a pandemia e atravessa dias da mais plácida normalidade, nada disso será necessário. Queiroga preenche o principal requisito para o cargo, que é “você não vai fazer lockdown no Nordeste para me foder e eu depois perder a eleição, né?”. Uma primeira mudança mais notória, portanto, em relação à postura anterior do Ministério da Saúde.

Sobre hidroxicloroquina, Marcelo Queiroga lembrou que “não há consenso na comunidade científica” sobre a eficácia deste medicamento contra a covid-19, mas que mesmo assim os médicos terão autonomia garantida para recomendá-lo, receitá-lo, mandá-lo goela abaixo de doentes covid. Serão poucos os receitadores de cloroquina, de qualquer maneira, porque poucos são os bolsonaristas na classe médica brasileira.

Marcelo Queiroga, em 2018.

Sobre tratamento precoce, o novo ministro da Saúde de Jair Bolsonaro não chegou a falar, na CNN, como o amado mestre, mas captou, sim senhor, a mensagem do ivermectínico guru: sobre tratamento precoce, Rolando Lero, ou melhor, Marcelo Queiroga disse assim, enquanto o Brasil caminha para duas mortes covid por minuto: é necessário chegar a um ponto comum “que permita contextualizar essa questão no âmbito da evidência científica e da ciência” e pererê pão mole, pererê pão duro e…

Quero ar puro
Pra respirar
Porto seguro
Não um monturo!

Uma resposta em “‘Captei! Captei a vossa mensagem, ivermectínico guru’”

Comentários estão fechados.